Breaking News
recent

Fotógrafo revela a realidade chocante da caça ilegal na Sibéria

Na região mais isolada e remota da Sibéria, existe um boom econômico obscuro. O fotógrafo da Radio Free Europe, Amos Chapple, em 2016, adentrou o mundo sombrio dos homens russos que buscam ilegalmente por presas e restos de mamutes extintos, na esperança de ganhar dinheiro no mercado negro. As imagens que ele capturou mostram um ciclo convincente de trabalho, desespero e consequências ambientais.

Acompanhe toda a série abaixo, acompanhada dos comentários do próprio Chapple, e testemunhe a situação dos homens que desejam enriquecer e estão dispostos a morrer tentando.

“Todo verão, muitos caçadores de presas de elefantes dirigem-se para o deserto russo com a esperança de ficarem ricos. Após concordar em não revelar nomes ou locais exatos, obtive acesso a um lugar onde vários homens estão usando métodos ilegais para buscar os restos dos gigantes perdidos da Sibéria”, escreveu o fotógrafo Amos Chapple
“Quatro horas de lancha até a aldeia mais próxima…” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“…neste caminho há um lugar cheio de restos de mamutes”. (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Um paleontologista com quem conversei me disse que este lugar provavelmente foi um dia um pântano ou o pântano afogou essas bestas pré-históricas”. (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Eles usam mangueiras de bombeiro (Tohatsu é a marca preferida) para sugar a água do rio…” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
(Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Alguns escavam túneis longos e profundos (que são aterrorizantes, diga-se de passagem).” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Outros usam o poder cortantes das mangueiras para criar grandes cavernas subterrâneas”. (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Na esperança de encontrar uma dessas – uma presa de mamute perfeitamente preservada, que vale US$ 520 por quilo” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“A região de Yakutia, na Sibéria, possui uma área que contém um solo permanentemente congelado, a poucos metros abaixo da superfície” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Em solo quente, os ossos desapareceriam em uma década. Mas presas e ossos como esses podem sobreviver por dezenas de milhares de anos nesta condição, tornando Yakutia o lugar ideal para manter restos de animais.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Esta presa de 65 quilos, fotografada alguns minutos depois de ter sido arrancada do permafrost, foi vendida por US$34.000. Os dois homens que a encontraram descobriram mais três em pouco mais de uma semana, e, inclusive, uma delas tem 72 quilos” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Os sortudos ganharam cerca de US$100.000 em oito dias.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Essa quantidade de dinheiro em uma região onde o salário médio é de cerca de US$ 500 por mês, nem sempre termina com um final feliz. Este memorial foi feito para dois jovens que, felizes, fizeram mais de US$100.000, festejaram muito, e então supostamente retornaram bêbados ao rio. Eles sacudiram o barco e se afogaram.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Na cidade natal dos caçadores, há criminosos que pagam dinheiro por presas frescas. Estas presas envolvidas em plástico estavam em um voo para a cidade de Yakutsk, na China.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Mas não são apenas mamutes que os homens descobriram. Este crânio pertence a um bisonte que já vagou, um dia, pelas planícies da Sibéria.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
(Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Outro crânio de rinoceronte que sentiu o sol no focinho pela primeira vez em pelo menos 11 mil anos.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Para que a expedição saísse mais em conta, eles transformaram o motor de uma moto da era soviética em uma bomba de água.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“A vida: a maioria dos homens aqui passou todo o verão longe de casa e da família.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Comer carne de alce é um deleite raro. A maioria das refeições são carne enlatada e macarrão. Dois dos homens me disseram que eles chegaram a comer cães quando ficaram sem comida… “O sabor parece com bacon”. (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Eles se embebedam e muitos adoecem e chegam a morrer devido ao consumo exagerado de álcool e as pestes presentes na região” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
(Créditos da imagem: Amos Chapple)
(Créditos da imagem: Amos Chapple)
“O dano causado: uma paisagem devastada é resultado dos métodos dos caçadores” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“Um deles me disse: ‘Eu sei das consequências, mas o que posso fazer? Não há trabalho, mas há muitas crianças.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
“O número de caçadores de presas na região de Yakutia está aumentando a cada ano, e como muitas histórias de riqueza instantânea estão chegando as cidades, essa tendência provavelmente continuará.” (Créditos da imagem: Amos Chapple)
Tecnologia do Blogger.